quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Os 9 piores Papas da História

AVISO: Estou CAGANDO e ANDANDO pra religião de vocês, bem como para qualquer outra religião. Este não é um blog teísta, anti-católico, anti-cristão, ou qualquer merda dessas. Tenha em mente que sua opinião religiosa NÃO ME INTERESSA. Se não gostou do post, faça um favor à mim e à si mesmo e vai se auto fecundar e não encha meu saco. Obrigada pela atenção.



O Papa sempre foi considerado o líder supremo da Igreja Católica. É visto pela grande maioria como um ser benigno, bondoso e de boa índole, com a única missão de espalhar a palavra de Deus. O que muita gente não sabe porém, é que nem sempre foi assim. Muitos Papas foram considerados páreas por sua conduta contrária às pregações da Igreja. Conheça os 9 Papas mais filhos da puta anticatólicos da história:


Papa Sergio III


Sabe-se muito pouco a cerca de sua história antes de receber o título de Papa. Tornou-se Sumo Pontífice pela primeira vez em meados do século X (mais precisamente em 897), em plena Idade das Trevas. Foi obrigado a renunciar, mas em 901, tomou a força o trono do Papa Leão V, predecessor de Cristóvão. Uma vez reeleito, orquestrou um processo formal - uma farsa - contra seus dois predecessores, Leão e Cristóvão, que foram degolados.

Sergio também esqueceu-se dos votos de castidade. Foi, por muitos anos, amante de Marózia, esposa de Alberico I de Espoleto e filha de Teofilato I, senador e consul romano. Com ela, o Papa chegou a ter um filho, que mais tarde tornou-se o Papa João XI.

Um fato comumente conhecido diz que Sergio III era extremamente opositor do Papa Formoso, e foi um dos responsáveis por um dos momentos mais doentios da história do papado: o Sínodo do Cadáver. O Sínodo do Cadáver, também conhecido como O Julgamento do Cadáver é o nome pelo qual ficou conhecido o episódio do julgamento póstumo do Papa Formoso, que havia morrido nove meses antes. O corpo do pontífice fora exumado, vestido com insígnias e ornamentos e posto num trono e então acusado de  transmigração em violação do direito canônico, de falso testemunho, de servir como um bispo, enquanto na verdade, um leigo, entre outros crimes, que foram lidos diante do corpo inerte de Formoso. O juiz foi ninguém menos que Sergio III, (que, na época, ainda não era Papa) que o condenou pelos crimes. Formoso foi despido de suas vestes, teve três dedos da mão direita - usados para a benção - amputados e todos os seus atos e ordenações declaradas inválidas. O corpo foi finalmente sepultado em um cemitério para estrangeiros, apenas para ser desenterrado mais uma vez, desmembrado, e lançado no rio Tibre.

Sergio III ficou no poder até 14 de abril do ano 911, data em que veio a falecer.

Papa Estevão VI



Foi coroado Papa em 896, mas não quis saber de reinar como seus contemporâneos pervertidos, violentos e corruptos. Embora sua integridade não seja tão suja quanto à dos demais, seu nome estará pra sempre na lista dos piores Papas por seu papel Sínoco do Cadáver (leia acima). Ele fez as vezes de Promotor do Julgamento, "expondo" à Formoso as acusações que lhe cabiam, grande maioria delas, apenas decretos e ações das quais Estêvão havia discordado enquanto Formoso estava vivo. Quando o veredito de culpado foi decretado, o esqueleto foi decapitado e lançado no rio Tibre. Estêvão VI também anulou todos os decretos de Formoso, fazendo com que ele nunca tivesse governado. Esse episódio foi considerado tão absurdo que o próprio Estêvão VI foi estrangulado até a morte um mês após o julgamento.


Papa Leão X


Foi papa de 1513 até sua morte, em 1521. Ele é comumente lembrado por ser o papa do inicio da Reforma Protestante, iniciada por Martinho Lutero. Diz-se que Leão X incentivava seus fiéis à pagarem por seus pecados - literalmente. O líder religioso colocava preços nos pecados dos outros, obrigava-os a dar-lhes dinheiro em troca de sua absolvição, e que ameaçava as pessoas, afirmando que suas almas não seriam capazes de entrar no céu, se eles não pagassem EM DINHEIRO, seus pecados.

Alguns historiadores defendem a tese de que Leão X era homossexual, que mantinha relações com o Conde Ludovico Rangone e Galeotto Malatesta, mas que era apaixonado por um jovem chamado Marcantonio Flaminio, um nobre veneziano. Há quem diga também, que o Pontifice teria morrido na cama, envolvido em um ato sexual com uma jovem, mas estes fatos não podem ser verificados.

Papa Julio II


Esse papa pode ser considerado um "MUL3K3 P1R4NH4". Tornou-se papa em 1503 e ficou no poder até 1513, data em que veio a falecer.

Apesar do juramento do clero de celibato sagrado, Júlio II teve inúmeras amantes e, pelo menos, uma filha ilegítima, Felice della Rovere (algumas fontes indicam que ele tinha duas outras filhas, que morreram durante a infância). Alguns afirmam que o Papa também adorava um fio terra: em 1511, o conselho fez acusações de atos sexuais indecentes contra ele, alegando que ele era “um vergonhoso sodomita coberto de úlceras”.

Embora fosse um fã de artes e esculturas antigas, Júlio também teria forçado Michelangelo a concluir a Capela Sistina antes do tempo que o artista pediu. Segundo registros, Michelangelo nunca chegou a terminar o túmulo do papa Júlio, após ele ter morrido.

Papa Julio III


Se eu não conhecesse a Igreja Católica, diria que Julio III foi o responsável pela máxima que diz que "todo padre é pedófilo". Foi pontificado em 1550 e teve uma duração relativamente breve, chegando ao fim após a sua morte em 1555. No início de seu breve reinado, Júlio parecia determinado a avançar com as reformas da igreja que ele considerava importante, mas rapidamente se cansou de assuntos papais e passou a maior parte de seu tempo relaxando. Ele sequestrou um adolescente na rua e o forçou a tornar-se seu amante. Júlio III era tão apaixonado por esse menino, Innocenzo Ciocchi Del Monte, que ele acabou fazendo dele seu sobrinho adotado e o promoveu a cardeal, enquanto ele ainda era adolescente.

O gosto "estranho" de Julio III não parava por aí. Ele chegou a pedir que Michelangelo (o pintor, não a tartaruga) decorasse seu palácio com esculturas de meninos fazendo sexo entre si.

Papa Urbano II


Seu pontificado decorreu entre 1088 e 1099. Ele não tomou nenhuma criança como amante e pegava relativamente leve na questão corrupção em relação a alguns de seus contemporâneos, mas nada disso importa, já que ele é o principal responsável pela Primeira Cruzada, o primeiro de muitos conflitos entre o cristianismo e o islamismo cujas ramificações ainda ecoam hoje. Urbano II decretou: “Todos os que morrem pelo caminho, seja na terra ou no mar, ou na batalha contra os pagãos, terão remissão imediata dos pecados. Isso eu concedo-lhes através do poder de Deus a mim concedido”. Ao dar a cada assassino, estuprador e ladrão uma chance para entrar no reino de Deus, ele garantiu a criação de um exército que estaria pronto e disposto a invadir a terra santa. O Sumo Pontífice aparentemente tinha algumas habilidades tremendas de oratória, uma vez que ele conseguiu convencer todo o Concílio de Clermont para aprovar a Primeira Cruzada em 1095 com um discurso que terminou com a sala inteira a seus pés gritando “Deus o quer!”

Papa João XII


Totalmente vida loka, esse papa que atuou de  955 à 964, é considerado um dos piores Papas de toda a história da Igreja. Recebeu o título maior do catolicismo com apenas 18 anos, e logo desenvolveu uma reputação invejável a qualquer psicopata.

Foi descrito como libertino, criminoso e sanguinário. Diz-se que estuprava as próprias irmãs e que mantinha uma relação sexual com a mãe, isso sem falar nas prostitutas, à quem João XII presenteava com cálices de ouro. Ele também tinha uma mania chata de "abençoar" (se é que você me entende..) as amantes em locais sacros do vaticano, como em cima dos túmulos de São Pedro e São Paulo. Quando não estava brincando de esconder a salsicha, João XII se divertia cegando e castrando cardeais.

A vida libidinosa e cruel de João XII estava causando tanto estrago à Igreja Católica, que um sínodo de emergência fora convocado. Um sínodo é convocado pelo bispo, a autoridade máxima da diocese. Dele participam sacerdotes de nível inferior, para discutir determinado assunto. Na época, todos os bispos italianos, 16 cardeais e outros prelados (alguns alemães), reuniram-se para decidir o que fazer com o devasso pontífice. Convocaram testemunhas e ouviram evidências sob juramento. Então, fizeram uma lista que adicionava ainda mais acusações às informações bizarras e assustadoras que já possuíam sobre João. Algumas delas foram descritas em uma carta escrita a João pelo Imperador do Sacro Império Romano, Otto I da Saxônia.

Acontece que o Papa estava pouco se fodendo, e ameaçou não só à Otto, mas todos os envolvidos, de excomungação. O imperador Otto não se curvou à ameaça de excomunhão do papa e o depôs, colocando em seu lugar o papa Leão VIII sem que João soubesse. Quando retornou a Roma, em 963, sua vingança foi infinitamente pior que sua ameaça. João XII depôs o papa Leão e, ao invés da excomunhão, executou e mutilou todos os que fizeram parte do sínodo. Um bispo teve a pele arrancada, um cardeal teve o nariz e dois dedos cortados e a língua arrancada, e 63 membros do clero e da nobreza romana foram decapitados. Na noite de 14 de maio de 964, parece que todas as rezas implorando a morte de João XII foram ouvidas. Segundo a descrição do bispo João Crescêncio de Protus: "enquanto estava tendo relações sujas e ilícitas com uma matrona romana, o papa foi surpreendido pelo marido de sua amante em pleno ato. O enfurecido traído esmagou seu crânio com um martelo e, finalmente, colocou João XII no seu devido lugar no colo do Capiroto.

Papa Bento IX


Tal papa foi tamanha calamidade que outros religiosos não pouparam críticas severas à figura. Graças aos laços de sua família com a igreja, conseguiu tornar-se para em tenra idade; alguns dizem que ele tinha entre 18 e 20, enquanto outros afirmam que Bento IX tinha apenas 12 anos quando foi consagrado Papa.

Ele rapidamente desenvolveu uma imagem de “cruel e imoral”. O Papa Victor III escreveu que Bento IX cometia “estupros, assassinatos e outros atos indescritíveis. Sua vida como papa foi tão vil, tão má, tão execrável, que eu estremeço só de pensar nisso”. São Pedro Damião tinha coisas similares a dizer de Bento IX, descrevendo-o como “banquete de imoralidade” e “um demônio do inferno sob o disfarce de um padre”. Ele era anfitrião de orgias (patrocinadas pela igreja) exclusivamente masculinas no palácio, e livremente estuprava homens, mulheres, crianças e animais.

Bento IX também detém a distinção de ser o único papa a vender seu papado; num belo dia, decidiu que queria se casar e vendeu seu título por 680 kg de outro, Resultado: se arrependeu e pegou de volta à força. Mais tarde, abdicou do papado e foi excomungado, morrendo como um homem normal, porém ainda excessivamente rico.

Papa Alexandre VI


Alexandre VI foi tão não-cristão que criaram um drama de televisão moderna inteiro dedicado a contar as histórias das palhaçadas dele e de sua família. Você pode conhecê-lo por seu nome de família: Rodrigo Borgia. Borgia era uma família de comerciantes ricos que efetivamente compraram o trono do papa para que Rodrigo se sentasse nele em 1492. Uma vez tornado papa, os bons tempos começaram a rolar para a família Borgia.

O papa Play boy era responsável pelas orgias mais elaboradas que o Vaticano já tinha visto; coisas como 50 prostitutas amontoadas em uma única sala onde o papa e os membros de seu clero faziam o que queriam com elas. Ele atribuiu a alguns clérigos o dever de não participarem das orgias para que as observassem e fizessem o controle da quantidade de orgasmos que cada membro do clero alcançava, pois ele acreditava que virilidade era um sinal de força e ele não aceitaria homens “pouco férteis” em sua panelinha.

Alexandre VI também teve várias amantes, incluindo Giulia Farnese (conhecida como Júlia, a Bela), e teve numerosos filhos ilegítimos com a antiga amante Vannozza dei Cattani (que era casada na época). Ele casava sua filha, Lucrécia, com comerciantes ricos e em seguida declarava o casamento nulo – ele era o papa, afinal de contas – e absorvia todo o dinheiro deles. Aliás, ele também estuprava sua filha, que por sua vez também era estuprada por seu irmão. Alexandre VI e sua família efetivamente roubaram a nobreza de Roma e mataram quem ousasse se opor contra eles.

Seus caminhos hedonistas eram tão descarados que, mesmo com o crime e a violência tomando as ruas de Roma, o papa ocupou-se com comédias, banquetes pródigos e bailes – todos pagos com fundos da igreja católica.

Seu papado de 11 anos chegou finalmente ao fim em 1503, quando um dos muitos assassinos contratados para matá-lo conseguiu terminar o serviço. Ele foi envenenado e morreu lentamente ao longo dos próximos dias, com 72 anos de idade.

Referencias: Hype Science, Macaco Velho e Wikipédia.

27 comentários:

  1. Car, eu sou católica mas admito: sasporra eram uns filhos da puta.
    Ainda mais na Idade Média: aquela bosta era pior que o Templo de Salomão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que nem era pela religião em si, o problema. Na época, o "must" das profissões era ser padre. Todo pai/mãe queria que seus filhos fossem padres, porque, além de tudo, era um "emprego" bastante rentável e influente. Acabou que muita gente entrou pra Igreja sem vontade, devoção e principalmente vocação pra isso, e consequentemente, deu na merda que deu HAHA!

      Excluir
  2. Nem Jesus salva esses caras hauahauahauahau

    ResponderExcluir
  3. Sou católico, mas acho que os fatos tem que ser apresentados doa a quem doer (embora tenha notado alguns exageros). Gostei do blog , mas eu gostaria que vc fizesse um com bons papas também (sim, tivemos muitos, inclusive na idade média). Se eu fosse fazer não deixaria de por na lista dos melhores os Papas São Gregório II e o grande São Pio V. Forte abraço. Que Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Daniel, tudo bom?

      Primeiramente agradeço pelo comentário, pelo elogio e até pela sugestão. Antes de prosseguir, devo dizer primeiramente que não dou uma foda para a escolha religiosa de cada um, aliás, mantenho até mesmo a minha religião apenas para mim aqui no blog. Algumas pessoas já fizeram comentários religiosos em algumas postagens do blog (coisas que eu particularmente achei ofensivas) e eu sempre me abstenho em responder, pois sou uma pessoa que respeita a opinião (principalmente religiosa) de cada pessoa, mesmo que essa seja diferente da minha. Como a seu comentário foi diretamente direcionado à minha pessoa, o mínimo de educação que eu devo à você é respondê-lo.

      Quanto aos exageros, a postagem foi feita com base em vários artigos encontrados na internet, sobretudo em sites em inglês, e francamente, acredito que nem eu, nem você tenhamos conhecimentos suficiente sobre os fatos, uma por eu não ser bacharel em teologia (e creio eu que você também não o seja, mas posso estar enganada. Por favor me corrija caso eu esteja), outra por não termos vivido na época dos Papas supracitados (a não ser que o cristianismo tenha mudado desde a última vez que me importei em procurar saber algo sobre e vocês passaram a acreditar em reencarnação).

      Daniel, também gostaria de ressaltar que o foco principal do Show do Medo não é a teologia, mas sim, coisas bizarras, assustadoras ou semelhantes, por isso acho que ficaria bastante fora de contexto uma postagens sobre Papas fofos (que eu sei que existiram muitos). Quero também deixar ressaltado aqui, que a postagem acima não quis de maneira nenhuma generalizar todos os Papas, como pode bem ver no seguinte trecho da introdução do post:

      "[...] É visto pela grande maioria como um ser benigno, bondoso e de boa índole, com a única missão de espalhar a palavra de Deus. O que muita gente não sabe porém, é que nem sempre foi assim. [...]"

      Em resumo, o meu blog não trata de teologia, tampouco é ferramenta para difamar religião qualquer, até por que eu tenho muito mais coisa pra fazer, apenas tenho como intuito, criar e mostrar artigos à pessoas que gostam de um pouco de "terror" em suas vidas, e você há de convir comigo, que não tem coisa mais assustadora do que um "emissário de Deus", que deveria pregar os ensinamentos de Jesus, fazer o que estes senhores fizeram.

      Novamente, agradeço imensamente pelo comentário e peço desculpas pela minha falta de educação e pelo tamanho da resposta.

      Abç.

      Excluir
    2. Tudo bem, não se preocupe, pois sei que sua intenção não era generalizar. Foi ate uma falta de atenção minha, não reparei o nome do site. Se eu tivesse reparado saberia que era pra postar coisas assustadoras. Rsrs
      Mas de qualquer modo minha postagem pode ser util porque pode vir um ignorante que não conhece toda a LINDÍSSIMA história da Igreja e pode ver isso e achar q a Igreja Católica é suja e tals. Tem gente que não entende que da mesma forma que tivemos (e temos ainda) maus pastores em TODAS religiões, maus reis/presidentes, etc tbm houve maus papas . Enfim, fique tranquilo (a). Obrigado por responder minha postagem. Parabéns o blog é show. Forte abraço e que Deus te abençoe

      Excluir
    3. Francamente, a opinião de uma pessoa que se dá ao trabalho de criticar algo que não conhece não deveria ser levada em consideração por ninguém. Você não deveria se preocupar com pessoas assim, com certeza em algum momento de suas vidas, essa pessoa irá amadurecer e procurar conhecer melhor aquilo que critica, ao invés de criar argumentos com base em um artigo de um blog de terror HAHA!

      Como eu disse no comentário acima, o artigo que você me pediu não é muito a cara do blog, mas se te servir de consolo, eu posso até tentar fazer outros parecidos com esse, de outras religiões também. Assim tira pelo menos um pouco da impressão de que apenas a Igreja Católica tem seus problemas, como fiz parecer no post..

      Obrigada novamente pelos elogios.

      Abç.

      Excluir
    4. Daniel, em primeiro lugar eu acredito que sim!, a igreja católica teria tudo pra ser uma grande obra de Deus, más oque se destaca no salmo 115 resume bem o porque de não se estar em comunião com a palavra de Deus, veja o trecho..." 1 Não a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória, por amor da tua misericórdia e da tua fidelidade.
      2 Por que diriam as nações: Onde está o Deus deles?
      3 No céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada.
      4 Prata e ouro são os ídolos deles, obra das mãos de homens.
      5 Têm boca e não falam; têm olhos e não vêem;
      6 têm ouvidos e não ouvem; têm nariz e não cheiram.
      7 Suas mãos não apalpam; seus pés não andam; som nenhum lhes sai da garganta.
      8 Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem e quantos neles confiam.
      Então é como se os próprios santos estivessem desabafando sobre o fato de os católicos (digo clero e fiéis) adorarem a "imagens", então teria inúmeras coisas a citar más como não sou teólogo atenho-me somente a isso, sem mais, obrigado.

      Excluir
  4. Muito mito e pouco fato. Historiadores protestantes como fonte primária. Complicado. Agora, boa postagem. O problema é que, em história muitas vezes, existem lendas, teorias da conspiração, etc...o que falou foi a citação do papa Damásio, ou Dâmaso I.... mais filho da puta que quase todos aí..mesmo levando-se em consideração fontes duvidosas, na melhor das hipóteses foi um... menção honrosa para o papa Virgílio também..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberto, como eu disse há alguns comentários acima, fiz minha pesquisa mediante as ferramentas que me foram disponibilizadas. Não sou historiadora e, pelo que me recordo, não entrei em nenhum site protestante em busca de informação. Também não fiz o post com intuito de arrumar encrenca com religioso, até porque essa raça enche muito o saco e eu não tenho paciência pra mimimi.

      E de fato, em todos os âmagos da história, temos aqueles que inventam lendas, teorias da conspiração e etc, mas como deu pra notar, infelizmente eu não me encontrava presente durante o "mandado" dos papas citados, logo, não posso dizer o que é ou não verdade ou mentira no post.

      Mas se você tiver fontes de informação que dizem respeito ao post, ficarei feliz e agradecida em lê-los.

      Por último, muito obrigada pelo elogio e vou procurar conhecer esse papa que você citou (não em fontes protestantes, prometo).


      Abç!

      Excluir
  5. Católicos são católicos por serem ignorantes e desconhecerema história. São apaixonados e doentes pelas doutrinas mentirosas que a igreja cega chamada catolicismo ensinou e chapou a todos os católicos.Continue firme que, a verdade terá de ser demonstrada hsitoricamente para desmascarar essa apostasia que é o catolicismo, essa idolatria sem fim e essa corja de aproveitadores da fé cega e tola que pregam e ensinam aos católicos.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Eu acho o seguinte, que a culpa todo e de toda essa influência riquezas e até "glamour" que a igreja romana pissuia, que perverteu muitos homens.
    Isso e totalmente contrário ao cristianismo genuíno, que nao e construído com riquezas e muito menos poder aquisitivo

    ResponderExcluir
  8. RESPEITO JESUS MAS PAPAS,IGREJAS E RELIGIÃO SÃO CRIADAS PELA AMBIÇÃO DE PODER DO HOMEM,TEMOS QUE PRATICAR DEUS NOSSA AUTORIDADE ESPIRITUAL ESSE PAPAS E PASTORES SÃO LOUCOS ,OBSECADOS PELOUM PODER SO EXISTE NO MUNDO CRIADO POR ELES.DEUS NEM EXISTE MUNDO DELES.

    ResponderExcluir
  9. Gostaria que falasse das muitas atrocidades de Lutero e Calvino.

    By: Daniel

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Foram todos uns demônios esses papas!!!!

    ResponderExcluir
  12. Nao sei se o mais divertido para eles eram as festas ou as vinganças hehehe mas eles se deram mal. O melhor é agir sempre pelo certo. E tem mais a Papisa Joana - para mim ela tinha valor, viveu santamente (só era mulher e amou - ela era humana), ajudou as pessoas, respeitava Deus e Jesus, se dedicou, trabalhou muito pela Igreja. Deus a tenha e que ela nos abençõe tambem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim, uma pessoa que fez o bem merece todo o meu respeito, da mesma forma que quem fez o mal merece meu repúdio. As pessoas, e não só religiosamente falando, precisam aprender a criticar ações negativas, mesmo que estas ações tenham ocorrido no seio de suas igrejas ou de seus partidos políticos, por exemplo. Muita gente prefere defender os errados do que admitir "Realmente, fizeram cagada" ou ainda vir com aquele papinho de "ah, mas na outra religião também fizeram." Estas mesmas pessoas que não admitem que coisas ruins acontecem em todo lugar não tem noção de qual mal fazem ao defender ou fechar os olhos para atitudes como a destes papas descritos no post.

      Não conheço essa Papisa Joana (e prometo que vou procurar), mas se ela agiu em prol do bom, tem meu total respeito.

      Excluir
  13. Aí vem os idiotas defender a igreja católica!!

    ResponderExcluir
  14. Senti no seu site uma certa predileção em apontar crimes sexuais diante a igreja católica? Concordo com tudo que foi escrito inclusive são fatos historicamente dito durante séculos, mas percebi uma certa cutucada nas entrelinhas.

    ResponderExcluir